SINJUSC protocola reclamação disciplinar contra magistrada acusada de assédio

O SINJUSC protocolou reclamação disciplinar na Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de contra magistrada de Balneário Camboriú por arbitragem e humilhação a servidores da comarca. O Sindicato exige um posicionamento e investigação dos fatos, uma vez que é competência da corregedoria apurar a conduta de juízes de 1º grau.

A juíza, que segundo a Lei Orgânica da Magistratura, tem o dever de tratar com respeito os servidores que lhe auxiliam, usou a própria estrutura do judiciário para proferir ofensas. Nos autos de processos, eram expostos xingamentos públicos às partes – peritos e servidores.

Em dois exemplos, a magistrada escreveu que o trabalho do Cartório era um “LIXO”. No outro, que o trabalho de uma servidora era “irresponsável e insensível”. Em outros, a magistrada ocupava-se de questionar arbitrariamente o trabalho dos servidores, interrogando os publicamente nos autos.

Segundo apurado pelo SINJUSC, o assédio moral contra os servidores na comarca é praticado há, pelo menos, 10 anos.

O Sindicato já havia se posicionado sobre o caso no editorial: Ofendeu um, ofendeu todos! Leia aqui.

Sem tolerância para o assédio

Para o SINJUSC, assédio não se tolera, se combate. Além de todo o trabalho que o Sindicato vem fazendo de conscientização nas comarcas com a Campanha: Violência Moral no Trabalho: lançar luz, organizar, combater,  o jurídico atua para coibir e responsabilizar quem pratica.

Também temos à disposição, um canal direto e sigiloso para denúncias. A violência moral no trabalho é uma questão de saúde e temos o dever de coletivamente combater esta prática. Informe-se aqui. 

Ofendeu um. Ofendeu Todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *