Eleições 2022: Diga não ao desmonte do Brasil e do serviço público!

Na próxima terça-feira (13/09), o Fórum Catarinense em Defesa do Serviço Público, articulado entre vários sindicatos do Estado, irá lançar a Plataforma Política do Fórum Catarinense de Defesa do Serviço Público para as eleições de 2022. Será na sede do SINJUSC, a partir das 19h, com transmissão online pelo canal do Youtube do SINJUSC.

Mais que um mecanismo para estimular o voto consciente, a ideia é que a plataforma seja um marco para enraizar o debate em outros Estados e que seja um referencial para atuação dos candidatos. 

O evento, organizado pelo Fórum, que reúne sindicatos de trabalhadores do serviço público de Santa Catarina das esferas, municipal, estadual e federal, é aberto a todas as trabalhadoras e trabalhadores do serviço público e às candidatas e candidatos que buscam compromisso com a agenda da classe trabalhadora para a sociedade catarinense e brasileira.

DEFESA DO SERVIÇO E SERVIDORES PÚBLICOS|

Plataforma Política é um instrumento coletivo, que busca não só trazer luz para a tomada de decisão na hora de votar, mas que também serve como parâmetro para entendimento de quais candidatos ou a candidatas estão comprometidos com as pautas defendidas pelo Fórum.

Nos últimos anos, inúmeros foram os ataques ao serviço público: reforma previdenciária, reforma administrativa que acaba com a carreira e direitos adquiridos no serviço público, precarização das condições de trabalho, entre outros.

Agora, na atual conjuntura, os sindicatos que compõem este Fórum não podem ficar neutros. A disputa eleitoral é parte da continuação da luta em defesa do serviço público. A escolha de candidatos e candidatas que, efetivamente, trabalhem pelo fortalecimento do serviço público é um dever de toda pessoa que trabalha no setor público. E, sim, temos boas opções.

Posto isso, reforça-se que a plataforma visa estimular o voto para candidaturas atuam em defesa dos direitos dos servidores públicos, da proteção social, trabalhista, bem como uma saúde e educação públicas, gratuita, universal e de qualidade.

Os dirigentes sindicais basearam a produção do documento em sete principais eixos, com pontos de trabalho e defesa em cada proposta. O documento na integra está divulga abaixo.

  • EIXO 1: DEMOCRACIA E SOBERANIA POPULAR

Defender a Democracia, a soberania popular e o livre exercício dos direitos políticos,

Aprofundar a democracia representativa e participativa e a liberdade de expressão,

Democratizar a formulação e controle de políticas públicas.

  • EIXO 2: DEFESA DOS SERVIÇOS E EMPRESAS PÚBLICAS E VALORIZAÇÃO DA(O)S SERVIDORA(E)S|

Superar a agenda de desmonte e privatização de serviços e empresas públicas,

Valorização das pessoas que trabalham no serviço público.

  • EIXO 3: FORTALECER AS POLÍTICAS SOCIAIS|

Saúde não é mercadoria: saúde pública gratuita, universal e de qualidade,

Educação não é mercadoria: educação pública gratuita, universal e de qualidade.

  • EIXO 4: COMBATE À DESIGUALDADE ECONÔMICA E SOCIAL|

Promover ações imediatas de combate à fome e desenvolvimento territorial.

  • EIXO 5: DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUSTENTÁVEL COM TRABALHO E DIGNIDADE|

Melhorias da condição econômica da população de baixa renda,

Diálogo social para um novo modelo de desenvolvimento,

Papel do Estado no desenvolvimento e proteção social e ambiental.

  • EIXO 6: DEFESA DAS INSTITUIÇÕES E LEIS DE PROTEÇÃO TRABALHISTA E SINDICAIS|

Defesa da Justiça e Ministério Público do Trabalho e retomada do MTE,

Promoção de leis e normas para o trabalho digno,

Defesa da atividade sindical.

  • EIXO 7 DIREITOS HUMANOS E COMBATE ÀS DISCRIMINAÇÕES

Defesa e promoção dos direitos humanos e enfrentamento das opressões.

Conheça a Plataforma CLICANDO AQUI e certifique-se de que o seu candidato ou candidata está comprometido(a) com as demandas da categoria.

DIREITOS SÃO POLÍTICOS|

O SINJUSC, de forma coletiva com o fórum, tem protagonizado nos últimos anos atos e mobilizações que buscam a defesa real e concreta do serviço público gratuito, visando a construção de uma sociedade com justiça social, que distribua condições para as pessoas ter uma vida digna.

Várias foram as lutas para manter e ampliar os direitos da categoria. E só e pela luta, que é também política, os trabalhadores do judiciário tiveram somente nesse ano de 2022, 34% de reposição em seus salários e benefícios. A mobilização também afastou a aprovação da reforma administrativa (PEC 32) e garantiu o protocolo do projeto popular que pede a revogação da alíquota previdenciária para quem recebe ate o teto no INSS.

Por isso, é fundamental o envolvimento dos sindicatos na condução da politica nacional, porque é ela, também, que direciona em que tipo de sociedade vamos viver e como. A luta e o caminho são coletivos: escolha bem seus candidatos.

4 Comentários

  1. Concordo com muito do que foi exposto. Sou a favor do serviço público necessário e a valorização do servidor público competente.
    Mas sou muito a favor da privatização de “quase tudo”, visando a melhoria, rapidez e desoneração dos serviços.

    • Concordo com você. Existem muitas funções que não têm necessidade de serem exercidas por servidores. Público apenas o essencial, fundamental (atividades típicas de estado). Bancos, correios, empresas de energia, etc., devem ser privatizadas (na minha opinião)

  2. Na semana passado liguei para o sinjusc. Efalei com diretor luiz. Einformei que o gabinete do deputado estadual Marcius machado esra a disposição e aguardando algum diretor do sinjusc entrar em catacto com o deputado para encaminhamento do projeto de iniciativa popular. Nao tive retorno ate agora porque?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *