Primeira rodada da mesa de negociação com a nova administração do TJSC.

TJSC garante inflação na folha de maio e aceita debater tabela de vencimento

Em reunião desta segunda, dia 13 de maio, o Diretor-Geral Administrativo, Alexsandro Postali, e a Assessora de Relações Institucionais do Gabinete da Presidência, Mariana Mafra Carlini, informaram que a administração está disposta a dialogar sobre proposta de reestruturação da tabela de vencimentos que o SINJUSC venha a elaborar.

A ideia da diretoria é fazer um amplo debate sobre a reestruturação da tabela de vencimentos com a finalidade de contemplar toda a categoria e, nesse processo, abarcar também a questão do adicional de qualificação e do ganho real.

Os interlocutores do TJSC garantiram ainda que os 3,69% da correção inflacionária referente ao período que vai de maio de 2023 a abril de 2024 sai já na folha deste mês de maio e incide sobre vencimento básico, gratificações e auxílios.

Outro destaque dessa primeira rodada de negociação é a disposição da administração de encaminhar a utilização do auxílio-saúde para gastos não cobertos pelos planos de saúde como por exemplo, medicamentos.

As pautas que encontraram mais resistência foram a conversão do auxílio-creche em auxílio educação e a equiparação do médico-social ao auxílio-alimentação que, segundo interlocutores do TJSC, seriam inviáveis do ponto de vista jurídico. Contudo, a diretoria segue buscando uma solução conjunta para resolver as duas questões.

115 comentários

  1. Nossa, o Tribunal concedeu apenas a inflação, que novidade! E o “mito” do ganho real fica pra discussão eterna. Mas tudo bem, vamos filiar 5 mil, porque essa é a meta real, né!

    • Olha Renato, um monte de gente dizia que a URV era um “mito” também, no entanto a mobilização da categoria conquistou. Só tem um jeito de conquistar o ganho real, pautar e mobilizar, mobilizar e pautar. Atingir a meta de 5 mil filiados é um gesto de força que apoia a diretoria na mesa de negociação para conquistar direitos como o ganho real.

      • Quem conquistou a URV não foi a mobilização, mas o interesse do próprio TJSC (leia-se Des. Blasi). Fosse a mobilização, já teria sido conquistada há muito tempo atrás.

        • É uma leitura Anderson, mas sem a ação rescisória do SINJUSC não haveria oportunidade para reabertura de negociação. Sem o congresso do SINJUSC que definiu a entrada com a ação rescisória. Sem a decisão da diretoria de contratar Pita, Mitidiero e Marinoni. Sem a intervenção do Des. Francisco de Oliveira Neto na Câmara de Direito Público sugerindo a negociação entre o SINJUSC e o TJSC também não. Ou sem a aproximação da diretoria do SINJUSC com o Des. Blasi feita desde a administração do Des. Roesler ficaria difícil. Sem anos de mobilização, greves e até acampamento em frente ao TJSC. Sem a campanha “URV PARA TODOS”. Emfim, foram inúmeros os movimentos da diretoria e da categoria que culminaram na URV!

  2. O ganho real deveria ser contemplado agora, desmembrando-o da –reestruturação da tabela-, pois esta, como habitualmente faz o TJ em pautas de gde impacto fianceiro, ficará para depois, depois, depois…

    • Olá Murilo, se forem feitos separados, termos dois projetos para passar na ALESC: um do ganho real e outro da tabela. Se fizermos de uma só vez, o processo e a mobilização se unificam e fica mais fácil!

      • É justamente o contrário. A unificação inviabilizará indiretamente a conquista do ganho real, pois a reestruturação da carreira, onde ele pega carona, por suas próprias implicaçoës, será de moroso trâmite no TJ que sempre posterga com infinitos estudos, cálculos e reuniöes.

        • Como respondemos acima para a Ana, Rodrigo. A categoria tem nas mãos a oportunidade de construir uma tabela de vencimentos para no mínimo reduzir a disparidade entre o TJSC e outros órgãos da administração pública como MPSC e Alesc, o momento agora é de construir uma proposta e apresentá-la na mesa de negociação! Quando a diretoria convocar, participe do processo!

  3. Boa noite. A data-base com a reposição do ipca o TJ sempre vem estabelecendo ano a ano. Tanto que já foi enviado essa notificação pela própria presidência dia 10/05 antes da reunião com o sindicato. O que temos de concreto da mesa? (Além de pedir mais filiações)Parece que estamos perdendo posicionamento diante dessa nova presidência do TJ. Já vi que o auxílio educação não vai sair….

    • A reposição do IPCA tem acontecido nos últimos vinte anos Lucas, porque o Sindicato atua e para atuar precisa de filiações, quanto mais filiados, mais e força! A reunião anunciou a disposição da administração em debater tabela salarial logo depois que divulgamos o material elaborado pelo SINJUSC comparando as tabelas do judiciário, da ALESC e do MPSC. Acho que você não está enxergando a importância desse processo, pois reestruturação de tabela e carreira é tudo que todas as categorias do serviço público almejam, mas as administrações não estão dispostas a debater. Nas redes do SINJUSC divulgamos recentemente um vídeo criticando a manifestação do Governador dizendo que não faria a descompactação da tabela do magistério. Vamos juntos Lucas!

  4. Prezados, o que falta para o pagamento da GANS?
    Agora já temos o índice, estamos na metade do ano, o TJ vai enrolar até quando?
    Juro, estou com muita raiva disso.
    Criam a expectativa nos servidores, nós já executamos as tarefas de gabinete (trabalhando em cartório), ou seja, sem nada a mais no vencimento e fica por isso mesmo? A lei foi aprovada com qual finalidade? Alguém pode me explicar, eu não consigo entender! O sindicato está cobrando mesmo isso da administração?

    • Olá Márcia, de acordo com os interlocutores do TJSC na mesa de negociação a GANS deve ser regulamentada até junho, mas a distribuição das gratificações vai acontecer paulatinamente, o número de gratificações vai passar daquelas 100 mencionadas no início, mas não vai sair tudo de uma vez.

  5. problemas juridicos para.equiparar o auxilio medico social??????????……..argumento.pra.la.de.debil……..quais.seriam………???????…pressao maxima,nessa.questão…….para.trazer.justiça.aos.aposentados…….

    • Pois é Cláudio, não entraram em detalhes e a diretoria também não vê desta forma. De qualquer forma, o debate sobre tabela pode acabar resolvendo inclusive essa questão, incorporando auxílios!

  6. palmas para o TJSC, estudando e esperamos a concretização dos assuntos recorrentes à reunião.
    Continuaremos ovacionando mais, no findar positivo.

  7. Senhor governador, porque so pra essa classe?
    E a segurança pública, onde esta a valorização prometida?

    • Caro Altair, em algum momento depois de elaborada, acordada com a administração e aprovada na ALESC, a proposta de tabela salarial do judiciário precisará ser assinada pelo Governador, mas tudo isso vai depender da luta das trabalhadoras e dos trabalhadores do judiciário catarinense!

  8. administração está disposta a dialogar sobre proposta de reestruturação da tabela de vencimentos que o SINJUSC venha a elaborar???

    Isso já faz mais de 10 anos!!!

    Disposta a dialogar??
    Em alguns anos vou me aposentar – e o vencimento que cair líquido na conta – ser menor e o TJSC vai continuar ” disposto a dialogar” a tabela de vencimentos!!

    Até quando???

    • Olá Mauro, não sei se entendi bem seu comentário, mas se já estás perto de se aposentar, a janela aberta pela administração para dialogar sobre uma nova proposta de tabela salarial pode acabar sendo muito benéfica para você especificamente e para a categoria de uma maneira geral. Então bora lutar junto!

    • Pois é, o tal projeto da reestruturação tá parado sem movimentação desde 2022… já comentei o número, mas não aprovam meus comentários, haja democracia.

  9. Creio ser uníssono entre os servidores a necessidade da reestruturação da tabela/ganho real. Logo, ante a abertura dada pela Administração, o SINJUSC deveria focar este ano nessa pauta. Entendo que toda luta é valorosa, mas o ganho real já facilitaria o pagamento das escolas, medicamentos, etc. O massivo apoio da categoria (pra não dizer total) deve contar no esforço/prioridade do SINJUSC. Também não se pode esquecer que beneficiaria os aposentados. Fica a sugestão e agradecimento à atuação de excelência do Sindicato.

  10. Nessa proposta que será elaborada pelo Sinjusc (assim espero), poderiam estabelecer um mínimo de 5% para reajuste. Não resolveria nossa defasagem, mas é melhor um pássaro na mão do que dois voando.

    • Olha Luís, por vezes a inflação supera os 5% e também há cenários, apesar de raros, de deflação. É uma proposta complicada de ser negociada, mas a sua ideia será levada ao conhecimento da diretoria!

  11. Bom dia ,assim espero que venha algo pra todos ,mais só acredito quando ver a folha .

    • Nós também Kátia! Vamos ao debate e a luta, precisamos de uma boa proposta e também convencer a administração a implementá-la.

  12. Só espero que a reestruturação da tabela se torne prioridade absoluta para o sindicato, daqui a um ano e meio muda a administração e vai tudo por agua abaixo.

  13. Parabéns Sinjusc pelos encaminhamentos na reunião de ontem!
    Uma pergunta: Há uma previsão de QUANDO o ganho real possa vir a ser implementado, caso aprovado pela administração?

    • Opa Renato, a ideia é já embutir o ganho real dentro da nova tabela, daí não precisaremos passar dois projetos pela ALESC, vai no mesmo projeto! Então depende agora de elaborarmos coletivamente uma proposta que comtemple a categoria como um todo, não apenas os grupos funcionais, mas que possa chegar aos aposentados também. Mãos à obra! Fique atento aos chamados do SINJUSC para o debate!

      • Caros, na minha pergunta eu esperava receber como resposta alguma estimativa aproximada de data… Eu perguntei se “Há uma previsão de QUANDO”. Então, refazendo a pergunta: Vocês acreditam que SEJA POSSÍVEL AINDA ESTE ANO termos o ganho real implementado em nossa folha?

        • Olá Renato, inicialmente a ideia é embutir o ganho real na nova tabela, então vai depender do andamento do debate sobre a tabela salarial!

          • Não Adriano, não vamos esperar, vamos construir uma boa proposta que seja capaz de convencer a administração, afinal outro ponto importante desse processo é a definição de atribuições. Hoje, as trabalhadoras e os trabalhadores do judiciário desempenham funções que não estão na descrição dos cargos, então se é pra incluir novas funções, é preciso ajustar a remuneração. Vamos lá!

  14. Que tudo entre nesse novo projeto de lei.

    A respeito do pagamento de férias/LP e mais dias do saldo de plantão vencido, alguma informação?

    • Opa Daniel, esse é o espírito, uma nova tabela pode resolver uma série de questões de uma só vez! Sobre as férias, será possível vender 10 dias das férias do ano, mas isso só deve ser regulamentado no próximo mês!

      • Esses 10 dias é uma regulamentação permanente ou aquelas indenizações esporádicas realizadas pelo TJ? Aliás, há previsão de compra de férias e licenças vencidas?

  15. Boa tarde, temos a tabela do MPSC e da ALESC para COPIAR, nem precisamos inventar a roda… dá pra pegar o melhor das duas e mesclar, inclusive fazer uma média da diferença entre elas. Bora buscar…

    • Isso André, as tabelas do MPSC e da ALESC são um ponto de partida, mas o debate é mais complexo, pois precisa levar em conta, por exemplo, a atual situação do TJ. Uma nova tabela pode, por exemplo, incorporar benefícios ao vencimento e assim atingir aposentados, isso sem falar nas gratificações e a perspectiva de o TJSC ter finalmente adicional de qualificação. A proposta tem que ser madura e para que a tabela possa atender as necessidades da categoria pelo maior tempo possível antes de um próxima reestruturação.

  16. Auxílio Educação – esqueçam, TCE já tentou e a PGR entrou com uma ação para revogar o benefício Para evitar perder o TCE revogou o benefício, ademais, necessitaria de projeto de lei para existir e, qualquer coisa na ALESC que beneficie o servidor será pauta para denegrir a categoria. Melhor solução é pleitear o aumento do Auxílio Alimentação de atuais 15% do vencimento do 12J para 20% ou 25%. É numa canetada e beneficiaria a todos, ativos e inativos e ainda contaria com o apoio dos magistrados. Quanto a nova tabela de vencimentos, esperemos um milagre. No PCS proposto em 2010 não houve consenso e perdemos.

    • Olá Adwaldo, obrigado pela sua colaboração, mas as propostas encaminhadas pelo SINJUSC são aprovadas em assembleia da categoria, por isso, aguardamos a sua participação nas próximas. Mas sobre a reestruturação da tabela, acho que devemos ser um pouco mais otimistas, mesmo sabendo que ela só será possível com muita mobilização e debate por uma proposta que reduza a diferença do TJSC em relação a outros órgãos da administração estadual como o MPSC e a própria Alesc. Vamos juntos!

    • Na verdade até houve consenso.. com muito estudos de impactos de um lado pro outro… até que no dia derradeiro a ir pra votação no pleno… simplesmente Presidente à época arquivou… isso que consta impacto financeiro de tudo quanto é lado.. teria dinheiro pra pagamento.. inclusive DASU5 aos servidores que são assessores de gabinete… ou seja, sabemos há muito tempo que só basta boa vontade pra implementar um Plano de Cargos que realmente nos beneficie

  17. E as letras?? O TJ não vai pagar? Não estou nem falando dos atrasados, mas estão demorando mais de um ano para dar as letras que temos direito. Esses valores, se fossem pagos, já seriam mais que esses ridículos 3,69%

    • Olá Mariana, a informação que temos é que o tribunal está atualizando as promoções para em seguida pagar os retroativos. Não veio tudo no mês passado como eles haviam anunciado, mas a perspectiva é que seja tudo pago nos próximos meses.

  18. Boa tarde. ” informaram que a administração está disposta a dialogar sobre proposta de reestruturação da tabela de vencimentos que o SINJUSC venha a elaborar”. Só uma curiosidade… essa proposta de tabela já foi elaborada pelo Sinjusc? Pque se tiver que ainda elaborar essa nova tabela, até que fique pronta a proposta, e vai pra “estudos e mais estudos’ pelo TJ, não entra na pauta dessa administração não….

    • Olha Ana, sem trabalho não tem conquista. A categoria tem nas mãos a oportunidade de construir uma tabela de vencimentos para no mínimo reduzir a disparidade entre o TJSC e outros órgãos da administração pública como MPSC e Alesc, o momento agora é de construir uma proposta e apresentá-la na mesa de negociação! Quando a diretoria convocar, participe do processo!

      • Entendi. Então essa nova tabela ainda será elaborada pelo sindicato. Bora então, como já pediram alguns colegas aqui, foco nessa tabela Sinjusc, que o tempo urge e a sapucaí é grande! Precisamos demais dessa atualização, pois ficar só com reposição de inflação é complicado…

  19. Esse 3,69 que o tribunal vai dar ainda tem que passar pelo governador ,pra mim esquece já sei oque o governador vai dizer ,que não pode ter gasto nenhum na folha ,isso ele vai falar ,e nada vamos ganhar ,isso esta na luta faz tempo ,e minha opinião é mais um ano sem nada. Estou muito chateada pois tudo passa pelo governador quando é pra nóis.

    • Não precisa aprovação do Governador para corrigir perdas inflacionárias Kátia. Conforme escrito na matéria: “os 3,69% da correção inflacionária referente ao período que vai de maio de 2023 a abril de 2024 sai já na folha deste mês de maio e incide sobre vencimento básico, gratificações e auxílios”. Outra informação importante é que se o TJSC topa enviar o projeto para a ALESC, dificilmente parlamentares e o governador se metem, afinal, a administração tem verba própria, o duodécimo (9,41% da receita líquida disponível do Estado).

      • Quero parabenizar o SINJUSC pela paciência de responder os comentários, pois eu não sirvo para tal trabalho.

        • Obrigado Ricardo! O SINJUSC tem mais de 4 mil filiadas e filiados, o que possibilita a contratação de um profissional de comunicação que em constante contato com a diretoria responde a cada um dos comentários. Quanto mais filiados, mais serviços para a categoria, mais força na luta, mais direitos conquistados. É assim que funciona a máquina sindical!

  20. Boa tarde! SINJUSC, alguma previsão sobre a implementação das promoções? Tenho letras deferidas há meses, mas até agora nada do ato coletivo no Diário

    • Olá Guilherme, a informação que temos é que o tribunal está atualizando as promoções para em seguida pagar os retroativos. Não veio tudo no mês passado como eles haviam anunciado, mas a perspectiva é que seja tudo pago nos próximos meses.

  21. É urgente a reestruturação da tabela, pois a atual já está muiitoooo ultrapassada, com a reforma da previdência a carreira dos servidores vai ter no mínimo 40 anos, e a atual tabela só tem 30 referências. Acho muito importante ter uma proposta o quanto antes para apresentar ao TJ e começar mobilizar a categoria p garantir a implantação.

      • Sim muitos já estão estagnados . Gostaria de saber se a nova tabela fará alguma discrepâncias entre TJA’s não formados em nível superior , ou aqueles formados em outras áreas ?

        • A nova tabela ainda não existe Neila, a diretoria do SINJUSC já está trabalhando para criar oportunidades para a categoria participar coletivamente dessa construção e comtemplar a todas e todos. Vamos juntos!

  22. Olha, esse filme eu já vi: fazer amplo debate com a categoria sobre a restruturação, e blá blá e bla blá blá, e assim o tempo passa, entra outro presidente e tudo vai por água a baixo. Sejam mais diretos e incisivos em algo que seja concreto, mirem as tabelas do MP e da Alesc!!!!

    • Isso, as tabelas do MPSC e da ALESC são um ponto de partida, mas o debate é mais complexo, pois precisa levar em conta, por exemplo, a atual situação do TJ. Uma nova tabela pode, por exemplo, incorporar benefícios ao vencimento e assim atingir aposentados, isso sem falar nas gratificações e a perspectiva de o TJSC ter finalmente adicional de qualificação. A proposta tem que ser madura e para que a tabela possa atender as necessidades da categoria pelo maior tempo possível antes de um próxima reestruturação.

  23. Reestruturar a tabela não vai beneficiar em nada os aposentados. Há necessidade de conquistar um ganho real que atinja a todos os servidores. Se até a ALESC reajustou o salário dos seus servidores acima da inflação , por que o TJSC não seguiu o exemplo? Essa deveria ser a meta do SINJUSC.

    • Ganho real é meta do SINJUSC Rute. Mas pense comigo, se o auxílio-alimentação, por exemplo, for absorvido pelo vencimento básico na nova tabela, resolveremos o problema do médico-social. Então a reestruturação pode e deve atingir os aposentados também! Vem com a gente!

  24. Também concordo plenamente com o Murilo, que colocou que “O ganho real deveria ser contemplado agora, desmembrando-o da ‘reestruturação da tabela’.
    Pelo seguinte motivo: A administração pode responder com o “Sim” apenas para o ganho real, e um “Não” para toda a reestruturação da tabela (que é algo muito maior), separadamente.
    Se tudo estiver junto, todos os itens como o ganho real, adicional de qualificação, no “mesmo barco” da reestruturação da tabela, um ÚNICO NÃO da administração coloca tudo abaixo, e ficamos a ver navios.

    • Ambos os projetos, Renato, são enviados pelo TJSC para a Alesc e portanto a diretoria do SINJUSC precisa consensuar uma proposta com a administração. Falando hipoteticamente aqui, a diretoria do SINJUSC será capaz de avaliar junto com a categoria caso não seja possível o “plano A” que é a reestruturação, um “plano B” com apenas o ganho real. Mas não vamos entregar os pontos no início da corrida, vamos buscar a reestruturação da tabela que é capaz de resolver muito mais problemas. Vamos juntos!

  25. O momento é de aproveitar a maré… Se há espaço para dar andamento da carreira o foco tem que ser este. Não adianta dar “murro em ponta de faca”, estes pleitos em que há dificuldades para avançar devem ficar para outro momento. Na elaboração da proposta deve-se haver sensatez, a tabela da ALESC é fora da nossa realidade, já a do MP creio ser o caminho acertado, até pelo fato de haver uma “equidade informal” entre as carreiras de juízes e promotores. Então creio haver espaço para tentar aproximar as carreiras dos servidores entre MP e TJ. A hora é de unir esforções entre entidades e associações, deixar vaidades de lado e tentar unificar uma proposta viável de implementação levando-se em conta a realidade da administração. Sabemos que nem tudo pleiteado é possível, é pegar o que for possível e lutar na frente pelo justo…

  26. Se o Tribunal não quiser avançar essa pauta da campanha, vai ser organizado uma greve? Ou outra medida. Só vejo o sindicato apoiando greve de outros sindicatos, de outras categorias. Mas para nossa… Enfim….

    • Até o momento, o Tribunal está aberto ao diálogo sobre as pautas apresentadas pela categoria, ou seja, por enquanto, não há motivo para a greve que é um instrumento legal e está sempre no horizonte da diretoria do SINJUSC. Mas a greve só é possível em momentos de impasse entre a administração e a categoria, não é o que está acontecendo agora Lucas!

  27. Como visto nos comentários acima, ainda mais com vista da troca de gestão do TJ, será necessária celeridade pela diretoria do SINJUSC sobre projeto de ganho real e/ou restabelecimento da tabela. Ótimo se basear na tabela do MPSC e ALESC (principalmente Alesc, hehe), com adaptações à nossa realidade, claro, mas acho que o SINJUSC deverá dar publicidade sobre o projeto feito pela diretoria e logo encaminhar ao TJSC para apreciação. Os servidores têm pressa e em muito anseiam por esse aumento – seja como for! Apoio e muita força ao Sindicato ficou evidente que a categoria dá! No mais, parabenizo novamente a gestão.

  28. Acho que um percentual de ganho real é materia de discussao célere e pontual… atrelar isso à uma possivel formulacao de nova tabela está errado.. e isso é opiniao unanime entre os servidores. Nao deveria o sinjusc repensar isso?

    • Olha Tiago, não sei se é unânime, mas esse é uma assunto que só pode ser definido em assembleia da categoria, daí sim daria pra saber se é opinião da maioria. Por enquanto, tanto o ganho real quanto a reestruturação foram aprovadas em assembleia e a diretoria do SINJUSC, como representante da categoria, vai encaminhando da forma que avalia ser melhor para avançar!

  29. Só penso que o aumento salarial começa a partir de 1° de janeiro e o nosso em maio. Levamos 5 meses depois de todos para receber aumento salarial, depois que tudo já aumentou várias vezes. Acho o injusto. Por que nosso aumento não começa a vigorar em 1° de janeiro como todas as outras áreas?

    • Rosa, muitas datas-bases de categorias de trabalhadores no Brasil acontece a partir do 1º de maio que é dia do trabalhador. Mas o reajuste é anual, não faz diferença a data em que ele começa a vigorar, os percentuais mensais são os mesmos.

  30. Zero esperança em relação ao tribunal. Eles não vão conceder ganho real e nem tabela. Obrigada pela luta SINJUSC, mas, infelizmente, não tenho fé.

    • Que isso Márcia? Temos que depositar a nossa esperança em nós mesmos e na unidade da categoria. É um debate importante, todas e todos precisam contribuir, depois que virar Lei não tem mais o que fazer! Vamos lá!

  31. Só espero que a nova tabela seja feita pelo SINJUSC e pela categoria e não por outras associações que “representam” apenas uma categoria, todos devem ser beneficiados e o SINJUSC é o único representante legal

  32. Verificando a tabela com o nosso maravilhoso reajuste… é discrepante a diferença do nível ANM pro ANS, é quase o dobro!!!!! penso que o Sinjusc, ao elaborar essa nova tabela, leve isso em consideração e aborde essa diferença absurda junto ao Tribunal. Servidores que executam as mesmas funções, com uma diferença salarial enorme dessas.

    • Opa Ana, esse é um dos desafios do debate, construir uma tabela salarial mais junta para todas e todos! Precisaremos de muita solidariedade entre as trabalhadoras e trabalhadores, independentemente do grupo funcional!

    • A luta pela reposição dos sem paridade foi aprovada no último Encontro da Experiência, agora e reunir com outras categorias do serviço público que estão no mesmo barco e cobrar o Governador Jorginho Mello! Vamos juntos!

  33. O índice de inflação informado pelo IBGE de 3,69% é mascarado e não reflete a realidade, quem faz compras no mercado, na farmácia, na feira, sabe o que estou falando…um ganho real faz-se mais que necessário para repormos de fato a inflação…
    Dito isto, importante mencionar também que a nossa tabela salarial precisa ser revista, criando mais níveis e que motivem e beneficiem TODA a categoria e não só uma parcela dos servidores…TJSC é um só, TODOS no mesmo barco, honrando o trabalho e consequentemente deixando o Tribunal em destaque nacional com ótima produtividade…não dá para separar a categoria e valorizar só uma parte como algumas associações pretendem…o sindicato (sinjusc) é nosso representante e luta para um ganho de todos baseado na isonomia coletiva e valorização do trabalho que está sendo entregue…

  34. A desculpa impacto financeiro sempre, mas pra ele nunca têm impacto financeiro, com milhões em caixa

    • É Marisa, mas a diretoria do SINJUSC está bem assessorada do ponto de vista econômico e nesse primeiro momento, os interlocutores não falaram em impacto financeiro. O desafio é construir uma tabela melhor e convencer a administração a implementar.

  35. Um dúvida que fica, com a restruturação da tabela, poderá haver aumento dos vencimentos, nos moldes do MPSC ou da ALESC?
    Quando se verifica Tribunais do nosso porte, somos um dos piores remunerados…

    • Sim André, a principal ideia da reestruturação é justamente essa, oferecer perspectiva de ascensão às trabalhadoras e trabalhadores por meio da ampliação do valor final, visto que MP e ALESC chegam ao final com valores bem maiores que o TJ. Mas ela também pode servir para incorporar direitos e corrigir distorções. Tudo depende do debate que vai ser feito e da concordância da administração.

    • Exatamente, André. Também penso assim… não resolve muita coisa criar mais uma “linha” na nossa tabela, visto que cada letra acrescenta pouco mais de 100 reais… o ideal – e fundamental, pra que vejamos alguma melhora efetiva, é um aumento real dos vencimentos sim, mirando principalmente na tabela do MP.
      E se possível, que cada reajuste, de inflação ou ganho real, daqui em diante, ocorra em cima da letra a que o servidor pertence. Não acho justo, por exemplo, quem está lá no 9-J, ganhar esses 3,69% sobre o nível 7-A, porque quem está no 9-j, é porque já trabalhou muuuuuitos anos pra chegar lá….

      • Oi Ana, os 3,69% incidem sobre a remuneração de cada um. Então se você é 9J, vai receber um aumento proporcional ao próprio vencimento. Por exemplo, se Fulana está no 7A (R$ 5.515,07) vai ter um reajuste de R$ 203,50, já ciclano que é do 7E (R$ 5.838,17) vai passar a receber mais R$ 215,28 e assim por diante. Isso falando só de VB, pois o percentual também incide sobre gratificações e auxílios, conquista da campanha salarial de 2021. Clique AQUI e compare a tabela atual com a tabela que passou a vigorar em maio do ano passado que você vai ver as diferenças de cada nível da tabela!

  36. Ganho real kkkkkkk vai continuar só na esperança e o acordo da URV foi bom apenas pro TJ, porq nós servidores, abrimos mão de todo aquele retroativo

    • Com todo o respeito à sua opinião Vera, a maior parte da categoria vê a URV como conquista, inclusive as mais de 1200 pessoas que participaram da assembleia que aprovou o acordo!

  37. A GANS foi uma bela passada de perna do TJ nos técnicos, principalmente, nos que estão entrando, pois perderam a chance de ter 20% e ficaram ainda mais distantes dos vencimentos dos analistas e fazendo as mesmas atividades. Venderam a ideia de que abrindo mão dos 20% a GANS seria implementada “em massa”.

    • A briga é essa Vinícius, de qualquer forma, essa é uma distorção que pode pelo menos em parte, pode ser corrigida com a reestruturação da tabela e por meio do adicional de qualificação!

      • Olha Adriano, o projeto também continha a quebra do limitador, além disso, a briga pela distribuição da GANS para todas e todas que merecem continua na pauta do SINJUSC.

        • “a mas tinha a quebra do limitador”, sim, tinha a quebra, mas apenas os servidores que já ganham valores superiores foram beneficiados, quem não possui nenhuma função não foi beneficiado, ficou a ver navios, e quem está entrando agora foi prejudicado, para beneficiar uma parcela que já ganha mais…

          • Sem desmerecer ou ironizar a sua opinião Lucas, a quebra atingiu 1200 pessoas, inclusive aposentados, foi uma vitória importante!

  38. Prezados,

    Gostaria de uma estimativa de datas, por parte de vocês… Existe alguma perspectiva de data (provável mês) que o sindicato deva vir a apresentar a tabela reestruturada para o TJSC ??

    • Por enquanto não Renato. a diretoria está debruçada sobre a questão neste exato momento. Fique atento, em breve todas e todos serão chamados a colaborar na elaboração da proposta e na mobilização para aprová-la! Vamos juntos!

  39. Gente, 3,69% é esmola. A inflação é de no mínimo 15%. Tudo aumentou nesse ano. Culpa do presidente Bolsonaro claro. O SINJUSC precisa pedir no mínimo mais 10% de ganho real, pq não está dando mais pra viver.

    • Olá Jairo, a inflação do último período não é culpa do ex-presidente Bolsonaro, é resultado de uma conjunção de inúmeros fatores. Além disso, o aprovado na assembleia da categoria foi a inflação pelo IPCA (3,69%) que entrou na folha deste mês e 5% de ganho real que segue na mesa de negociação junto com outras pautas aprovadas pela categoria.

  40. A falta de critérios objetivos para a concessão da GANS, que pelo demonstrado até o momento será distribuída apenas para poucos “servidores/setores escolhidos” pelo Tribunal, e a retirada do direito à gratificação de nível superior de 20% para novos técnicos, além de não resolver o problema existente em larga escala de técnicos realizando as mesmas atividades que analistas e ganhando muito menos, criou um segundo problema que não existia: técnicos com nível superior novos (sem a gratificação de 20%) versus técnicos com nível superior antigos (com a gratificação de 20%) exercendo as mesmas atividades e ganhando vencimentos diferentes. Parece até brincadeira.

    • Não é brincadeira Fábio, o que precisamos agora é fazer com que o TJSC implemente a GANS (50%) para quem faz “atividade de nível superior”.

  41. Aproveitando esse debate sobre a nova tabela, eu entendo que o SINJUSC precisa, sim, apresentar uma estimativa de prazo para a conclusão de seus trabalhos.
    Penso também – e já vimos isso no passado – que atrelar o ganho real a essa proposta pode levar muito tempo… Cindir os projetos pode garantir o ganho real num horizonte mais próximo deve ser objeto de uma consulta aos trabalhadores, pois pelos comentários, é desejo de uma parcela considerável. E creio que isso é, de fato, importante, pois todos sentimos no bolso que o custo de vida aumentou bem mais do que esse índice forjado de 3,69%…

    • Boa tarde José! Suas observações serão levadas ao conhecimento da diretoria! Obrigado pela colaboração!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *