Teletrabalho não é benefício

A pandemia acelerou um processo já em andamento. As modalidades de trabalho em casa já ganhavam força no mundo todo e, neste momento, foram catapultadas a patamares muito elevados. Isso, por si só, é motivo de atenção.

Estar atento não é, em hipótese alguma, colocar-se contra o teletrabalho e home office. Ao contrário, é querer que este novo modelo em expansão atenda também aos anseios do servidores. Isso porque o TJSC obviamente estão sendo atendidos: maior produtividade e menor custo.

Fomos colocados em home office de maneira abrupta, adaptando-nos a rotina e suportando todas as despesas decorrentes disso (materiais e imateriais). Naquele momento inicial, é compreensível que as pessoas arquem e deem conta, pois ninguém sabia ao certo lidar com isso.

Com isso, nossa percepção ficou confusa, temos dificuldade de distinguir trabalho e vida pessoal, estamos ansiosos, às vezes irritados e muitas vezes sobrecarregados. Nossa pesquisa sobre teletrabalho identificou isso, veja aqui.

De alguma maneira, criou-se (ou ao menos se tenta criar) uma falsa ideia de que estar trabalhando em casa é um benefício. A leitura sempre se remete aos altos índices de desemprego ou dos trabalhadores que não puderam seguir suas jornadas em casa. E a mídia e a própria comunicação do Tribunal exploram muito bem isso. Colocam os servidores em um lugar de privilégio.

Por isso, é bom deixar claro que Teletrabalho ou home office não são benefícios, é trabalho. Mesmo em casas, estamos trabalhando muito mais, elevando diariamente a produtividade do Tribunal, tão bem explorada midiaticamente. No entanto, há uma clara ausência do Tribunal em debater as condições do trabalho em casa.

Passados cinco meses, já é preciso avançar no debate do trabalho exercido de casa: como ficarão os custos de internet e equipamentos? Como ficará a jornada de trabalho sabendo-se da mistura entre casa e trabalho? Como ficará o direito a desconexão?

São questões que o Tribunal de Justiça não pode se furtar. Os servidores estão fazendo sua parte (e muito bem), quando o TJSC fará a sua?

Leia também

Artigo: O pandêmico teletrabalho

Teletrabalho, direito à desconexão e sobre-exploração: algumas questões ignoradas

Direito de desconexão do trabalho

https://www.tst.jus.br/noticias/-/asset_publisher/89Dk/content/id/24655191

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *