SINJUSC e categoria mobilizada garantem reposição de 34% nos auxílios

Congresso do SINJUSC realizado esse ano, em Florianópolis

Saiu a folha de pagamento de julho com a reposição da URV em 11,98% e entrará em conta nesta quarta-feira (20/07). Os auxílios creche, alimentação e médico-social também foram reajustados em 11,98%.

Com o percentual, o alimentação vai para R$ 2.145,01, médico-social passa a ser R$ 1.072,51 e o creche sobe para R$ 896,61. Aqui, importante mencionar que esses auxílios tiveram esse ano, assim como os salários, três reajustes.

Isso mesmo, somente em 2022, os auxílios citados tiveram três reajustes: Janeiro (14,78%), maio (4,29%) e, agora, em julho, 11,98%, totalizando 34% de reposição. Aqui, outro dado importante, porque são tantas lutas que o SINJUSC conquista, que às vezes, passa despercebido: os três reajustes só foram possíveis porque o sindicato garantiu a vinculação de reajustes à tabela de vencimentos. Ou seja, toda vez que o salário é recomposto, todos os auxílios vinculados à tabela sofrem o mesmo reajuste, de forma automática.

Para marcar: somente nesse ano de 2022, o salário e os auxílios tiveram 34% de reposição: NENHUMA CATEGORIA DE TRABALHADOR PÚBLICO RECEBEU UM REAJUSTE NESTE PERCENTUAL NO BRASIL, COM INCIDÊNCIA TAMBÉM NOS BENEFÍCIOS.

É preciso repetir, reafirmar e conscientizar que esses pagamentos são frutos de intensa articulação do SINJUSC, com mobilização da categoria.

Sim, é preciso comemorar essas conquistas e também sublinhar que o SINJUSC está vigilante com as outras pautas, pois um sindicato, verdadeiramente de luta, assim faz: combate, dialoga, expõe, negocia e, conquista. (TOP 10 CONQUISTAS (ÚLTIMOS 7 MESES).

Assim sendo, as demais pautas: triênios, plantão regionalizado, retroativo da data-base, aposentados sem paridade, equiparação do médico-social, pagamento das licenças-prêmios aos que se aposentaram durante a vigência da LC 173 (28/05/2020 a 31/12/2021), quebra do limitador,  VPNI, combate à violência moral, entre outras, seguem sendo monitoradas e trabalhadas com o Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

FILIAÇÃO É AMPLIAR A LUTA E GARANTIR MELHORES CONDIÇÕES|

E para que este trabalho continue sendo feito com força, de maneira combativa e efetiva, a categoria precisa somar e entender que o SINJUSC é todos e todas os servidores do Tribunal. E que a filiação é um ato de ampliação e manutenção de Direitos. Apoie essa luta e esteja ao lado do Sindicato, filiando-se!

14 Comentários

  1. Prezados, realmente é pra ser comemorado, e muito, essas grandes vitórias do Sindicato neste ano de 2022!!
    Como foi tocado no assunto, eu gostaria apenas de uma resposta sobre: Com relação à pauta “retroativo da data-base”, que se não me engano é de 6,76%, há algum posicionamento mais recente da administração para ajustar também esta dívida com a categoria?

  2. Grandes conquistas este ano, graças a um sindicato forte e comprometido e uma diretoria de gente competente e que não mede esforços pra defender seus filiados.

    • Olá, Valentida. Como informado na matéria, estamos acompanhando. Acabamos de conquistar da URV: reposição caiu HOJE na conta!

  3. e.a.equiparação.do.medico.social.com.o.auxilio.alimentação…??????????afinal.aposentados.sao.os.que.mais.precisam…………

  4. Parabéns ao trabalho deste sindicato! Com certeza a melhor gestão de todos os tempos!
    Gostaria somente que o TJ pagasse o auxílio saúde tbm a quem tem o SC Saúde…
    Obrigada!

  5. Parabéns pela luta ! A URV não era para todos ? Pergunto pq uma categoria de inativos não percebeu o aumento em folha . Grande abraço.

    • Somente os sem paridade não receberam a URV, no entanto, a reposição foi aplicada no médico social, que os sem paridade recebem.

    • Não temos esse prazo, ainda, Maria. O acordo aprovado em assembleia, prevê o pagamento dos retroativos até 2024.

  6. Bom dia! Meus proventos de julho foram os mesmos de junho. O auxílio médico social teve reajuste, mas os proventos não. Sou aposentada sem paridade. Também tenho direito a reposição URV? Se tenho, como faço para receber já que não foi automático?

    • Olá, Caciane. SEM PARIDADE|

      Por conta da reforma da previdência que retirou a paridade de ganhos entre ativos e aposentados, o percentual da URV não atinge no salário, mas repercute do auxílio médico-social.

      Importante resgatar que em relação aos aposentados e pensionistas sem paridade, também foi fruto da luta do SINJUSC, a reposição de 28,1% paga esse ano. A conquista do reajuste repôs parte das perdas que os aposentados sem paridade tiveram nos últimos quatros anos, uma vez que o Estado não reajustava os seus salários desde 2018. Se acrescenta a esse ganho, a reposição do médico-social, que os sem paridade também receberam. Logo, nesse ano, três reajustes no auxílio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *