SINDICATO (verdadeiramente) de luta, pra que serve?

Reprimidos pela Polícia de Choque Militar, com bombas de gás lacrimogênio e spray de pimenta, os servidores públicos de SC foram Impedidos de protestar contra a reforma que acaba com a uma aposentadoria digna.

A aprovação da reforma da previdência, que ocorreu ontem (04/08), garantirá ao governo Carlos Móises muitos bilhões, em benefício da manutenção das isenções fiscais, que o governo concedeu para os grandes empresários de Santa Catarina. Ah, também deve ajudar a fazer caixa para o rombo milionário dos maiores devedores do Estado. Sobre isso, nenhuma fala dos deputados alinhados ao governo!

Mas os vagabundos e baderneiros são os servidores públicos, que contribuíram uma vida inteira e agora, quando mais precisam, terão um corte gigantesco no salário. E para os que ainda vão se aposentar, a condenação é trabalhar anos mais e receber muito menos. Ah, já falamos que os militares ficaram de fora da reforma? Sobre isso, nenhuma fala dos deputados alinhados ao governo.

Mas, sim, os servidores públicos que lá estavam lutando para manter a dignidade, são os vagabundos, baderneiros e não esqueçam: privilegiados. E, ah, bem lembrado: parasitas!

A Casa do Povo, paga com o dinheiro do Povo e que sustenta todos os deputados eleitos, também com o dinheiro do Povo, agora é a casa de poucos. Do lado de dentro, vestidos com a “camiseta do governador”, os 31 deputados (veja nomes aqui – vale destacar o nome do parlamentar Ricardo Alba – servidor do TJSC), comemoravam a desgraça de um povo que não tem descanso: é projeto atrás de projeto retirando direitos (duramente conquistados há anos com muita luta).

A reforma da previdência passou e agora vem a reforma administrativa (PEC 32): também extremamente dura também com o funcionalismo! A PEC tramita no congresso federal, com amplo apoio dos deputados federais eleitos por SC, destaque para o parlamentar Darci de Matos, que defende a o fim da estabilidade, o fim das progressões e aumento da jornada de trabalho. Lamentável! E recebeu milhares de votos de servidor público, assim como seu colega Ricardo Alba. Agora, ambos declarados inimigos do serviço público!

O desmonte do Estado, dos Direitos Sociais, o fim do serviço público é um projeto de Governo! Os arquitetos estão em todos os governos: federal, estadual e municipal.

A luta não para!

O SINJUSC segue com o seu compromisso de defender a manutenção dos Direitos da categoria. Jamais se furtará do diálogo e do enfrentamento, que nos tempos atuais, é indispensável. É isso que um sindicato (verdadeiramente) de luta faz! E para isso, a categoria precisa entender o agravamento que esses projetos representam nos Direitos da classe trabalhadora!

Nos próximos dias será um edital de convocação para assembleia geral será publicado. Fiquem atentos e acompanhem!

Seguimos juntos!

3 Comentários

  1. Somando os servidores e seus familiares, eram muitos votos, mas infelizmente muitos não souberam votar, elegendo o pessoal da direita que nunca vai fazer nada pelo trabalhador. As pessoas tem que ser mais espertas e acompanharem os debates e o programa de cada candidato. Depois não adianta chorar sobre o leite derramado porque contribuíram para isso, votando mal. A maioria dos parlamentares representa os interesses dos empresários, aliviando a sua barra, enquanto sobra para o servidor e assalariado que vai pagar a conta.

  2. Quero saber quem vai comprar os remédios que o pobre do aposentado vai deixar de tomar por conta desse rombo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *