Paralisação contra a reforma da previdência dia 4 de agosto

Agora é pressão! Ou vem para mobilização ou teremos um corte sem precedentes nos nossos salários. É lutar ou morrer sem se aposentar.

Com a proposta de alteração na faixa de isenção do IPREV, que não foi alterada no substitutivo global, o aumento da contribuição chega na ordem de 340%. Parece erro de conta, mas não é. Entenda:

Regra atual: 14% da parte de provento que exceder o teto do INSS (R$ 6.433,57 em 2021)

“A” recebe a aposentadoria de R$ 8.000 e paga atualmente a contribuição ordinária de R$ 219,30 por mês (14% de R$ 1.566,43)

Regra da reforma proposta: 14% da parcela de provento que exceder o salário mínimo (R$ 1.100 em 2021)

“A” recebedora de provento mensal de R$ 8.000 pagará a contribuição ordinária de R$ 966 por mês (14% de R$ 6.900).

Aumento da contribuição ordinária de R$ 746,70/mês ou 340% do valor

Por isso, convocamos os servidores do judiciário para um Dia de Paralisação contra a reforma da previdência, no dia 04 de agosto. Neste dia, deve ocorrer a votação em Plenário do projeto. A paralisação atende a deliberação feita na última assembleia do dia 14 de julho.

Orientamos aos servidores que se desloquem para Florianópolis para somar na presença do ato, que deve dobrar de público em relação à manifestação de ontem. A concentração terá início às 13h, novamente na frente da Alesc.

Os servidores aposentados e da ativa, da região Oeste, estão organizando uma caravana à capital. Interessados devem entrar em contato pelo e-mail sinjusc@sinjusc.org.br. O SINJUSC arcará com os custos de deslocamento e hospedagem para os presentes na luta!  Para os que não puderem comparecer, orientamos que paralisem seus façam paralisação em seus locais de trabalho e aos que estão em home office, que não batam o ponto e que registrem manifestações em suas redes, compartilhando fotos de cartazes contra a reforma!

Ato reuniu 1,5 mil servidores

Os servidores do Judiciário catarinenses somaram forças junto com outras categorias do serviço público em ato contra a reforma da previdência, realizado ontem (28/07), na frente da Alesc. A Mobilização organizada pelo Fórum dos Servidores Públicos Estaduais, que agrupa sindicatos e centrais sindicais, reuniu mais de 1,5 mil trabalhadores.

Enquanto os servidores ocupavam a frente da Alesc, com bandeiras, faixas e gritos de luta, os deputados avançavam com o desmonte da previdência e apresentarem o relatório preliminar. Os parlamentares ainda devem analisar o substitutivo global enviado pelo governo do Estado, que não ameniza em nada a retirada de direitos! O Substitutivo é mais uma mentira do governo! Não vamos aceitar as manobras do governo. Queremos nossos direitos preservados!

No ato, que fechou a rua em frente à Casa do Povo, os servidores deram o tom da luta de não recuar frente as manobras do governo. Houve apresentação musical, com todos os cuidados possíveis para evitar a propagação do coronavírus.

Votação (relâmpago) até 4 de agosto

Apenas quatro deputados são declarados contrários ao projeto, sendo eles: Luciane Carminatti (PT), Fabiano da Luz (PT), Neodi Saretta (PT) e Padre Pedro (PT). O deputado Ricardo Alba (PSL), servidor do judiciário, eleito com voto do serviço público e com promessas de “defender a classe”, é favorável a reforma da previdência. A votação dos projetos é no dia do próximo ato, 4 de agosto.

Por isso, convocamos os servidores a enviarem mensagens aos deputados na tentativa de reverter votos favoráveis. CLIQUE AQUI e acesse o link “Na Pressão Contra a Reforma da Previdência”, com todos os contatos dos parlamentares. Procure pelo deputado de sua região, envie uma mensagem de Whatsapp, comente no Instagram, Facebook, ou envie e-mails para os parlamentares. Qualquer forma de pressão é válida neste momento. Barrar a Reforma da Previdência Estadual é urgente.

Aqui NESTE LINK, destacamos o contato do “colega” Ricado Alba. Já em 2019, o parlamentar votou contra a categoria, ao votar pela redução do duodécimo para o Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Felizmente, a Luta do SINJUSC garantiu a manutenção dos recursos. Releia o caso aqui.

BARRAR A REFORMA DA PREVIDÊNCIA ESTADUAL É URGENTE!

É LUTAR OU MORRER TRABALHANDO!

Não vamos aceitar as manobras do governo!

2 Comentários

  1. essa proposta essencialmente tem um ponto crucial..o brutal ataque aos aposentados….os mais frágeis…..verdadeiramente indecente…..ao invés de procurar caminhos diversos como por exemplo diminuir as isenções fiscais…vão para cima daqueles mais vulneráveis..comportamento vergonhoso…inaceitável…….os ativos de hoje serão os inativos de amanhã….os deputados devem procurar alternativas e deixar os inativos em paz…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *