Nas ruas contra as reformas administrativa e da previdência

Estamos na rua desde cedo em protesto contra as reformas da previdência (governo estadual) e administrativa (governo federal). A concentração teve início às 10h, na Alesc e segue durante todo o dia, com novo ato, às 14h, ainda em frente à Assembleia Legislativa. As atividades acontecem sendo em todo o pais em alusão ao Dia Nacional de Luta em defesa do serviço público (01/02).

Ambas as reformas, mais as PEC 186, 187 e 188 são propostas que afetam diretamente o servidor do judiciário catarinense. Em 2020, conseguimos barrar a tentativa do governador Carlos Móises de reformar a nossa previdência e o texto foi arquivado, mas o governo articula nova proposta na Alesc  e precisamos permanecer mobilizados e atentos.

A reforma administrativa somada ao Plano Mais Brasil (PEC 186, 187, 188) afetam diretamente atuais e novos servidores. Juntas, elas desestruturam a carreira, salário e estabilidade dos servidores. A justifica, agora, é que o governo precisa de recursos para financiar a continuidade do auxílio-emergencial. A lógica é colocar trabalhador contra trabalhador. Leia sobre as PECs AQUI, e sobre a administrativa AQUI.

O Futuro é Público

 “A propriedade pública é um caminho para assegurar a prestação de serviços públicos, garantir ganhos sociais, promover a inclusão e assegurar políticas públicas aos cidadãos de forma eficaz, eficiente, efetiva e, sobretudo, democrática”, trecho do  estudo “O Futuro é Público”, elaborado por um conjunto de pesquisadores reunidos pelo Transnational Institute. Leia completo AQUI.

Barrar todas essas medidas é luta de todos. Se você concorda com a estabilidade, jornada remunerada e aposentadoria dignos, progressão na carreira, data-base anual e serviços públicos gratuitos e de qualidade, então você defende o SERVIÇO PÚBLICO e é sua responsabilidade lutar em defesa.

COMO?

Atende os chamados do SINJUSC para mobilização.

QUANDO?

Sempre. Hoje estamos nas rua, sempre seguindo os protocolos de segurança sanitários, e você pode somar postando fotos nas suas redes e marcando o sindicato. Ou mande as fotos por inbox das nossas redes. Para Facebook, veja AQUI. Para Instagram, AQUI.

Também vale compartilhar nossos cards que demonstram quais direitos as reformas retiram. Ou nossas matérias sobre a importância do serviço público. Temos muitos e bons conteúdos publicados. Faça sua parte, comente, compartilhe.

2 Comentários

  1. É isso aí, companheiros! Além dessas valiosas ações, é necessário falar em GREVE GERAL. O patrão entende melhor essa arma de luta. Parece que clareia sua compreensão sobre o que está acontecendo. Falemos em GREVE.

    Mas não só isso. Devemo ir além. A classe trabalhadora, aquela que produz tudo no mundo, deve falar em SOCIALISMO. Já passa da hora de sindicatos, associações, partidos e massa trabalhadora encampar essa bandeira.

    A saída do inferno em que vivemos só será viável através do SOCIALISMO.

    Vejam que são mais de 200.000 mil mortos e o País continua como se nada fosse. Ora, e por que não seria assim? O que rege a vida política e cotidiana do capital não é o ser humano, mas o próprio capital. Por isso, é hora de cortar o mal pela raiz, lutemos pelo SOCIALISMO!

  2. Mas uma vez o culpado de tudo é o trabalhador/funcionário público e tantos outros na iniciativa “privada”. Só que, enquanto continuarmos sem ter um veículo de comunicação a nível estadual ou nacional, as manobras continuarão, objetivando proteger os “pobres” dos um por cento mais ricos daqui e do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *