Fazendo Escola realiza abertura de seminário

Realizado na última sexta (21/05) o lançamento do seminário “O Futuro do Trabalho – perspectivas latino-americanas” – contou com a participação dos professores Doutores Jacques Mick e Thaís de Souza Lapa, ambos do Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO) da UFSC, além do deputado Dirceu Dresch, que na ocasião, representou o mandato do dep. Pedro Uczai. Na transmissão virtual, por meio do youtube do Fazendo Escola, mais de 90 inscritos estavam on-line.

O debate foi lançado sobre o futuro do trabalho na américa latina observando o que a academia, em parceria com entidades sindicais, tem a oferecer a classe trabalhadora através dos seus acúmulos de pesquisas e estudos sobre o tema, além das vivências e experiências, no caso dos sindicatos.

Previsto para os meses de outubro e novembro de 2021 e no formato virtual, o ciclo de seminários se dividirá em 5 eixos definidos com foco na organização dos trabalhadores na luta sindical, valorização do serviço público, contribuição para a criação de novos projetos que articulem trabalhadores e instituições democráticas, entre outros. Dessa forma os eixos a serem trabalhados nos próximos encontros serão: 1 – tecnologia, 2 – saúde, 3 – diferenças no mercado de trabalho (raça e gênero), 4 – política econômica mundial (reformas do estado e por último 5 – qual projeto se cria com esses temas discutidos. Tudo isso construído numa perspectiva a partir da américa latina.

Lembrando que a Conferência de lançamento e o ciclo de seminários são organizados pelo Fazendo Escola, em parceria com o mandato do deputado Pedro Uczai e Laboratório de Sociologia do Trabalho da Universidade Federal de Santa Catarina (LASTRO-UFSC), que certificará todos os participantes quando os encontros forem concluídos.

Abrindo os trabalhos a Professora Ludmila Abílio (CESIT/UNICAMP/Brasil), trouxe o tema da “Uberização”, onde ela descreve um processo que podemos compreender como uma nova forma de gerenciamento, controle e organização do trabalho. “Essa nova forma não vai se iniciar com a Uber, não é exclusiva as novas plataformas digitais, mas sim um resultado de décadas na transformação das formas de controle e gerenciamento do trabalho”, explica Ludmila. “E isso incluí uma série de elementos que chamamos de flexibilização do trabalho, precarização do trabalho e que nos dias de hoje vão ganhando novos contornos”, completa.

Já o convidado Federico Vocos (CITRA/UMET/Argentina), abordou o tema “El movimiento obrero ante la pandemia en la Argentina“. Além disso, Federico também explicou sobre a criação do CITRA – Centro de Inovação dos Trabalhadores, primeiro centro científico com a participação de organizações sindicais e que tem como propósito colocar a investigação científica ao serviço das demandas e necessidades do mundo do trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *