Fazendo Escola encerra ano e projeta novos cursos para 2021

O Fazendo Escola encerra 2020 agradecendo todos os 119 participantes do primeiro curso reconhecido como atividade de extensão da UFSC. As atividades aconteceram em três encontros virtuais no mês de novembro e reuniram servidores do judiciário estadual, federal e também do Rio Grande do Sul.

O curso foi sobre Trabalho, Saúde e Tecnologia. Todos os participantes receberam certificado emitido pela própria universidade. Agradecimento especial também as professores que lecionaram: Rossano Bastos, Roberto Ruiz e Arthur Lobato.

“O curso do Fazendo Escola foi fantástico! Os três professores têm muito conhecimento e apresentaram o conteúdo de forma muito acessível, sendo que as diferentes áreas do conhecimento trouxeram uma visão ampla das nossas necessidades enquanto trabalhadores”, elogia Fabiana de Macedo Soares Silva, servidora do TJSC.

A assistentes social Carmem, também do TJSC, enalteceu a qualidade do curso: “Peneirar neste ano tão adverso, o que realmente fez diferença positivamente ao longo destes meses, é levar em consideração a participação no Curso sobre trabalho, saúde e tecnologia do Fazendo Escola. As aulas foram produtivas, com debates importantes que vieram ao encontro de nosso fazer profissional e espaço institucional de trabalho, cuja complexidade não está desconectada de um contexto mais amplo. Os professores de uma competência ímpar, que souberam problematizar situações tão densas e preocupantes com o viés da luta e não da inércia. A estrutura do curso, a forma como foi organizado o conteúdo pelos professores, somado as trocas com os colegas, tudo só agregou qualidade e entusiasmo às próximas edições”, finaliza.

Para 2021, está sendo elaborado mais um projeto junto ao Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO/UFSC). A parceria entre o SINJUSC e a UFSC é inédita na história do sindicato e está trazendo inúmeros benefícios aos filiados. A união entre os sindicatos do judiciário estadual do Rio Grande do Sul (Sindjus/RS) e federal de Santa Catarina (SINTRAJUSC), também tem rendido ótimas trocas e frutos, como o primeiro curso já certificado.

Refletir e pensar sobre o mundo, o trabalho e dentro disso a saúde e tecnologia, é um modo de justamente reconhecer a pluralidade de concepções de vida. E isso é ser mais preciso, e não menos preciso. Isso é ser mais preciso na luta pela data-base e não mesmo preciso. Se retiram direitos trabalhistas na iniciativa privada, se as condições de trabalho passam a ser piores em outro espaço, para nós também vai ficar mais difícil.

“Apesar do caminho ser complexo e aberto, será mais definitiva do que uma concepção simples, com objetivos conservadores e acomodados, sob alegação de que é mais factível, demonstrando, antes de tudo, que estes objetivos (conservadores e acomodados) são grandes equívocos”, afirma o presidente do SINJUSC, Neto Puerta.

Se a vida humana, de fato, é contemplada a partir de uma pluralidade de coisas, sob uma diversidade de concepções daquilo que é necessário para uma vida apropriada à dignidade humana, mostrar essa situação é sinal de precisão e objetividade, e não o contrário.

Além do curso, também percorremos o Estado de forma virtual dialogando com os servidores, com eleição dos Representantes de Base. Todo o trabalho feito esse ano, que sofreu profundas mudanças por causa da pandemia, foi fundamental para conquistarmos o reconhecimento da data-base 2020 e garantir a continuidade das negociações com o Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

Nos vemos no próximo ano, com muita formação e mobilização!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *