Enquete do STJ sobre prioridades para 2020 deixa servidor de fora

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) realiza enquete virtual para definir as prioridades do judiciário para 2020. Porém, apenas três categorias de pessoas são identificadas na ficha de resposta: cidadão, advogado e magistrado. O SINJUSC critica a ausência dos servidores e servidoras como agentes importantes para a atuação do judiciário.

A identificação destas categorias, por certo, dará maior ou menor peso quando da avaliação das respostas. A consulta iniciou nesta segunda-feira, 29/07, e será encerrada em 9 de agosto.

Das 7 indicações de metas para o ano que vem, três tratam de produtividade (melhoria de infraestrutura tecnológica, capacitação e desenvolvimento de servidores, e priorização para resolver mais processos do que ingressam). Como se percebe, aos servidores cabe ser uma “peça” no sistema, que precisa de constante treinamento para ser capaz de desenvolver suas tarefas.

Sobre a falta de servidores em todos os Tribunais, as profundas modificações tecnológicas que afetam as atividades das pessoas, o trabalho cada vez mais acelerado e isolado, o adoecimento provocado pelo trabalho, ainda não foi desta vez pesquisado pelo STJ como prioridade para o ano seguinte.

Veja a ficha respostas aqui.

Segundo informa o STJ, a consulta “fomenta a construção de políticas do judiciário com princípios de gestão participativa e democrática”. Os resultados da enquete serão apresentados na Reunião Preparatória para o XIII Encontro Nacional do Poder Judiciário, que será realizado na segunda quinzena de agosto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *