É hora de fortalecer o debate sobre Violência Moral

A campanha de Assédio Moral, que neste ano passamos a chama-la de “Violência Moral no Trabalho”, está em vigor desde 17 de agosto. Neste ano, devido à Pandemia, o SINJUSC está com uma iniciativa on-line para a participação de todos(as) os(as) servidores(as) via Whatsapp. O objetivo é que os trabalhadores se inscrevam aqui para receber uma série de vídeos curtos e objetivos com temas específicos sobre Violência Moral.

Para você passar a receber estes materiais basta clicar aqui. Semanalmente o SINJUSC enviará pelo Whatsapp os vídeos, que têm a fala do psicólogo Mateus Graoske orientando servidores(as) que convivem com este sofrimento.

Após aceitar receber os vídeos da campanha, você pode compartilhar casos em que você já foi – ou é – vítima, ou que conheça algum colega que vivencia esse abuso. Envie seu relato aqui. O SINJUSC se compromete a receber e tratar as denúncias de maneira sigilosa; contudo, as denúncias não podem ser feitas de maneira anônima pois faltará elementos para fazer a defesa do(a) servidor(a). Recentemente, chegou às mãos da diretoria uma situação dessa natureza e não se conseguiu dar encaminhamento por falta de informações.

O assédio no serviço público não é assunto novo, porém vem atraindo ainda mais atenção por conta das mudanças nas relações, como a terceirização, sobrecarga de trabalho virtual, pressão por produtividade e falta de pessoal. Há poucos meses, chegou ao sindicato uma denúncia de que há trabalhadores sendo orientados a trabalharem presencialmente nos Fóruns, por determinação dos juízes das respectivas comarcas.

Nos contatos com a direção do TJSC em relação a permanência de pessoas nos fóruns neste período que não há protocolos de limpeza do espaço, o SINJUSC recebeu como resposta da direção que não devem haver pessoas nos fóruns. Ou seja, o Tribunal entende que as pessoas estão cumprindo a determinação e não haveria responsabilidade por parte da instituição. Dentro deste quadro, as pessoas que estão indo aos fóruns e correndo o risco de se contaminar – e contaminar os colegas – estariam assumindo esta responsabilidade.

Portanto, o SINJUSC indica que todos que estão trabalhando nos fóruns, por decisão própria ou do(a) Magistrado(a), formalize esta situação encaminhando um e-mail ao(à) Magistrado(a) e pedindo que ele(a) indique estar ciente do trabalho presencial que está sendo desenvolvido pelo servidor.

Os casos de assédio são frequentes e, às vezes, invisíveis. Tanto os casos horizontais (entre colegas) quanto os verticais (entre trabalhadores e superiores). Os(as) trabalhadores(as) devem falar sobre casos de violência/assédio que acontecem consigo ou com colegas.

Um comentário

  1. Tenho ido ao trabalho por determinação da juíza da vara, não por vontade própria.
    Ps:. n me identificarei aqui por razão óbvia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *