Covid em Canoinhas: SINJUSC cobra reavaliação do presencial

Divulgação Freepik

Recebemos relato de contaminação por Covid-19 de estagiário que estava trabalhando presencialmente em Canoinhas. Os sintomas surgiram enquanto eles estava no fórum, tendo contato com várias pessoas.

No dia 15 de outubro noticiamos aqui os primeiros casos pós-volta e nos reunimos com a Diretoria de Saúde. Agora, além de pedir providências afirmativas no local, faz-se necessário reavaliar o retorno presencial e a necessidade de manter os 30%, podendo ser avaliado por região. Outro pedido é que o SINJUSC volte a participar das discussões, haja vista que os relatos chegam antes para nós, demonstrando a confiança no trabalho deste Sindicato.

O ofício que encaminhamos à Diretoria de Saúde e à Corregedoria-Geral de Justiça está aqui.

Obviamente, tais pedidos possuem argumentos em outro e importante elemento: aumento do número de casos em todo Estado.

Pesquisadores, profissionais da saúde e da imprensa alertam nos últimos dias para a segunda onda da Covid-19 no Estado e cobram dos gestores, prefeitos e governo estadual mais reponsabilidade com a pandemia. Segundo eles, a flexibilização de medidas restritivas estariam agravando a situação da pandemia no Estado, com aumento do número de casos e sobrecarga no sistema de saúde. A retomada massiva do trabalho presencial é outro fator apontado pela especialistas.

Santa Catarina enfrenta nova onda da Covid-19; entenda

Número de casos de coronavírus aumenta e Blumenau pode voltar a ter restrições

Acordo prevê mais restrições em Imbituba para evitar festas e aglomerações

Os relatos dos servidores mostram que não há “êxito nas ações preventivas”, conforme divulgado recentemente pelo TJSC. O que há são servidores usando recursos próprios para construir placas com armação de PVC e plástico. Há falta de estrutura nos fóruns e déficit de pessoal para fazer uma adequada higienização, já que o Tribunal demitiu em massa os terceirizados e ainda usou a “economiza gerada” como ponto positivo de gestão eficiente.

A prevenção exige antecipação das medidas. Não é possível permitir mais um falecimento na categoria para que se tomem medidas. Desde já (assim como fizemos até agora), chamamos a Administração do Tribunal de Justiça para responsabilidade.

Desde o início da pandemia nos antecipamos e fomos firmes neste ponto. Quando estamos lidando com a vida dos servidores e de toda a população catarinense, assim seguiremos.

Recomendamos a todos que não se coloquem em risco. Se não houver condições sanitárias no seu local de trabalho, fale conosco.

Para somar nesse trabalho reivindicatório e de monitoramento, estamos em diálogo com todas as comarcas do Estado realizando reuniões virtuais fórum por fórum. Em vários locais foram formadas Comissões de Saúde com representantes de base eleitos. Hoje nossa agenda é Brusque, a partir das 18h.

Trabalho de base é intensificado para ouvir a categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *