Com capitalização, quem contribui sobre o teto (R$ 5.839) perderá 2/3 do valor”, afirma especialista em previdência, que estará no SINJUSC dia 11/06

“Sem exageros, o modelo de capitalização individual rebaixa fortemente o valor da aposentadoria, representando o fim do sistema brasileiro de aposentadorias e pensões
que conhecemos”, declara Luciano Fazio, especialista em previdência. O profissional vem ao SINJUSC na próxima semana, dia 11 de junho para uma transmissão ao VIVO e exclusiva para os servidores do judiciário catarinense.

Segundo estudo publicado recentemente pelo consultor técnico externo do Dieese, no modelo implantado sem as contribuições patronais, para o trabalhador que tiver contribuído sobre o atual teto do Regime Geral de Previdência Social (de R$ 5.839), a perda de valor será da ordem de 2/3, na hipótese de um benefício a ser pago por 25 anos. Já para o trabalhador que tiver tido uma remuneração de R$ 3 mil, a perspectiva é ainda pior: o benefício será igual ao salário mínimo, na hipótese de ter que ser pago por 25 anos.

Fazio explica que no novo sistema quem irá administrar as contribuições serão bancos e seguradas. Isso significa que tais empresas privadas cobrarão taxas administrativas (tanto para cobrirem seus custos, quanto para garantirem seu lucro). O impacto dessas taxas será a redução do saldo de conta e, por tabela, os benefícios do segurado.

Pode perguntar

O SINJUSC convidou Fazio para esclarecer, exclusivamente, dúvidas da categoria e para isso, estará presente aqui em Florianópolis na próxima semana, dia 11 de junho. Você fazer sua pergunta AQUI NESTE LINK ou ao vivo via comentário na transmissão pelo Facebook.

Somos contra

O SINJUSC, com aprovação da categoria, sempre se posicionou contra a reforma da previdência, proposta ainda no Governo Temer. Diversas foram as manifestações em comarcas, nas ruas e no Congresso. Debates em assembleias, congressos e encontros de entidades sindicais, buscando a formação. A (PEC) 6/2019 propõe o aumento do tempo de contribuição e da idade pra se aposentar, “em troca”, reduz o valor do benefício.

Somente a união da categoria será capaz de engavetar o projeto. Como caminho, o Sindicato propõe que cada trabalhador seja um agente de mobilização em sua comarca e bairro. Para isso, diversos conteúdos foram publicados com a finalidade de formar e informar os servidores. Fique informado AQUI!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *