Ato Nacional em Defesa do Serviço Público e carta ao Governador

Foto: Micheline Zolet

O SINJUSC marcou presença no Dia Nacional de Luta contra a Reforma Administrativa (10/12), que reuniu lideranças sindicais em ato simbólico, em Florianópolis. A mobilização ocorreu na frente do Centro Administrativo do Governo do Estado, respeitando todos os protocolos de segurança e distanciamento.

Na ocasião, os servidores entregaram carta ao governador Carlos Moisés reafirmando a luta pela manutenção dos Direitos dos servidores públicos e cobrando medidas sanitárias eficazes de controle da pandemia no Estado. Até ontem (13/12), 427.401 mil pessoas foram contaminados e 4.365 morreram por causa da covid-19. A Defesa da Saúde e da Vida devem ser prioridades. A carta foi protocolada e as 57 entidades que a assinam devem acompanhar o andamento e cobrar audiência com o governador.

Em trecho da carta, os servidores cobram a regulamentação do trabalho não presencial e a respectiva indenização aos custos suportados e o fornecimento da estrutura adequada de trabalho, bem como a realização de concurso público para suprir demandas agravadas pela pandemia nas área da Educação, Saúde e Assistência Social.

As manifestações ocorreram em todo o país e marcaram protestos contra a precarização de serviços básicos e pela continuidade do auxílio emergencial. O SINJUSC seguirá somando nos calendários de lutas, conforme aprovado em assembleia na última quinta-feira (10/12).

“Sr. Governador, estamos preparados para enfrentar os desafios que se colocam. Uma grande articulação nacional da classe trabalhadora está sendo construída para agir de maneira enérgica no enfrentamento aos desmontes que estamos vivenciando e não esperamos menos deste governador que não seja a defesa da vida e das condições dignas de trabalho e acesso ao povo catarinense”, diz trecho da carte, que pode ser lida completa AQUI.

Ataque ao serviço público

Há meses, o SINJUSC vem alertando sobre os gatilhos da reforma administrativa e de outros projetos que miram os servidores públicos e sobre o empenho do governo federal de conquistar apoio popular para aprovar as medidas. Para se informar sobre as propostas CLIQUE AQUI.


Paulo Guedes compara servidores públicos com parasitas

Reforma administrativa fragiliza direitos e permite perseguição, dizem especialistas

PEC Emergencial restringe reajuste e prevê concursos para reposição

Reforma administrativa: Fim da estabilidade favorece perseguição ideológica de servidores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *