Assembleia aprovou GT sobre racismo, machismo e assédios

Na assembleia virtual de terça (30/11) ficou decidido que o SINJUSC criaria um Grupo de Trabalho (GT) para discutir racismo, machismo e os assédios moral e sexual no âmbito do Poder Judiciário de Santa Catarina.

O debate foi o primeiro ponto da pauta como forma de marcar a importância dessas questões para os servidores e contou com a intervenção do assessor do SINJUSC, Rossano Lopes Bastos.

Rossano falou sobre a discriminação racial como uma relação social que precisa ser desconstruída e citou o “massacre do Salgueiro” em que policiais deixaram 9 mortos depois de disparar mais de 1500 tiros durante “operação” na comunidade que fica em São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro, como exemplo de racismo estrutural.

Na sequência, foi a vez da secretária-geral do SINJUSC Carol Costa, fazer um relato sobre as campanhas, os debates e o protocolo de atendimento do Sindicato no campo do combate às opressões de gênero e ao assédio moral.

A ideia é que o GT seja um espaço de apoio ao trabalho das representantes eleitas pelos servidores e indicadas pelo Sindicato nas Comissões de Prevenção e Enfrentamento do Assédio Moral e do Assédio Sexual (CPEAMAS) de primeiro e segundo graus instituídas recentemente pelo TJSC.

A criação do GT foi aprovada de forma unânime pela assembleia e recebida de braços abertos pelas integrantes da CPEAMAS presentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *