Artigo|Setembro amarelo: a vida é a melhor escolha


*Mateus Graoske e Rossano Bastos

Setembro é o mês que marca o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, no dia 10. A cada ano a campanha do Setembro Amarelo lança a campanha que para além da prevenção atua fortemente no combate à estigmatização do suicídio. Triste realidade, o suicídio faz mais de meio milhões de vítimas todos os anos.

Os dados da OMS (Organização Mundial de Saúde) apontam que no ano de 2019 foram registrados mais de 700 mil suicídios no mundo todo, isso sem contar as subnotificações, o que se estima que os casos passam de 1 milhão. Aqui no Brasil são mais de 14 mil casos por ano, que em média são cerca de 38 suicídios por dia.

Ainda segundo a OMS, os números têm diminuído a cada ano, porém, nas Américas isso não é uma realidade, pelo contrário, em nosso continente estes números não param de aumentar e o suicídio já ocupa o quarto lugar em causa de mortes entre jovens de 15 a 29 anos. Desemprego, exclusão social e rede precária de atendimento público em saúde mental bem como a falta de acesso são alguns dos diversos contextos sociais que levam uma pessoa à depressão e ao suicídio. Acesso a serviços públicos de saúde mental e diagnósticos precoces poderiam salvar a vida de milhares de pessoas.

FALAR É A MELHOR FORMA DE PREVENIR||

Falar a respeito do suicídio é a melhor forma de romper o tabu que infelizmente ainda é uma realidade e conscientizar a todos e todas do papel fundamental que cada um de nós temos em ajudar a prevenir o suicídio. Seja no acolhimento e na escuta de alguém que está sofrendo ou também com a transmissão correta do assunto para que mais pessoas que estejam pensando em tirar a própria vida possam buscar ajuda. Se informar para aprender e ajudar o próximo é a melhor saída para ajudar no combate a este grave problema de saúde pública.

É muito importante que saibamos identificar o sofrimento de pessoas próximas que estejam deprimidas e/ou pensando em tirar a própria vida oferecendo uma escuta livre de julgamentos e preconceitos, sempre se mostrando disponível para ajudar e encaminhar aos serviços e profissionais de saúde mental (médicos psiquiatras e psicólogos) adequados para manejar os cuidados neste tão delicado momento. Uma boa escuta e encaminhamentos corretos podem salvar uma vida, exemplo disso é o CVV (Centro de Valorização da Vida) que conta com uma rede de voluntários preparados para acolher e escutar 24h por dia. O CVV pode ser acessado através do número de telefone 188 ou também através do site.

Essa é uma campanha que devemos estar vigilantes o ano todo. Acesse a Cartilha Suicídio.

SINJUSC ENGAJADO EM PROMOVER SAÚDE MENTAL|

Historicamente o SINJUSC atua na prevenção ao suicídio e também na promoção do bem estar psicológico da categoria. Contamos hoje com um amplo protocolo de atendimento no combate ao assédio moral no trabalho, que atua de forma interligada com atendimento jurídico e psicológico, bem como as Rodas de Conversas Integrativas: espaço de encontro para acolhimento e resolução de conflitos e sofrimento mental. Este espaço tem se mostrado como uma potente ferramenta não só clínica, mas também política no enfrentamento ao sofrimento mental.

Na próxima semana, dia 15/09, às 19h, tem nova Roda de Conversa sobre saúde mental e adoecimento. Os encontros são onlines, gratuitos e com sigilo. Para participar, basta efetuar inscrição AQUI.

PARTICIPE DA CAMPANHA DO SETEMBRO AMARELO DIVULGANDO E AJUDANDO A PREVENIR. A VIDA É A MELHOR ESCOLHA!

*Mateus Graoske, psicólogo clínico há 10 anos, com formação em psicanálise e que coordena o projeto de saúde mental do SINUSC

*Rossano Lopes, professor Livre docente, estudioso da psicanálise e assessor do SINJUSC

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *