9º Congresso do SINJUSC recebe elogios e agradecimentos por fortalecer a luta

Núbia Garcia | Jornalista

O 9º Congresso SINJUSC foi o primeiro evento realizado pelo sindicato após dois de isolamento e distanciamento social. Descrito pelos palestrantes como um importante espaço de construção coletiva, o congresso também foi muito bem-visto pelos companheiros que estiveram presentes. Eles não pouparam elogios à qualidade das palestras apresentadas e a organização da estrutura que recepcionou os participantes.

A dirigente sindical Cristiane Müller integra a diretoria do sindicato desde 2020. O 9º Congresso SINJUSC foi o primeiro evento presencial da entidade do qual, além de participar, ela ajudou a promover. “Havia uma expectativa muito grande, por ser o primeiro evento presencial desde que começou a pandemia. Procuramos abordar nas mesas de debate e nos grupos de trabalho as alterações do mundo do trabalho, provocadas pela pandemia. Este foi um momento pra gente parar e fazer uma análise, definir como as coisas vão ser e como o sindicato vai atuar daqui pra frente.”

No primeiro dia do evento, que aconteceu entre quinta-feira e sábado (26 e 28 de maio), em Florianópolis, foi realizada uma mesa de debate que abordou a construção da esperança pelo futuro. Na sexta-feira (27), aconteceram duas mesas, uma que debateu a organização sindical e a necessidade de união da categoria, e a outra abordou temas ligados à saúde mental do trabalhador.

No final do dia, os participantes puderam debater vários temas em três grupos de trabalho, que abordaram a saúde dos trabalhadores, as pautas mais de carreira e o neoliberalismo e políticas voltadas à organização geral dos servidores judiciários. Além das palestras técnicas, proferidas por especialistas em movimentos sindicais vindos de diversas partes do país, o congresso também contou com programação cultural.

CONGRESSO REUNIU PARTICIPANTES DE TODA SANTA CATARINA E TAMBÉM DE FORA|

Figura carimbada nos eventos promovidos pelo SINJUSC, o oficial de justiça aposentado Dalmo Gerson Muniz, é sindicalizado desde a década de 1980, quando foi efetivado na comarca de Chapecó. Ele não perdeu a oportunidade de participar do primeiro evento presencial pós-pandemia. “Sempre que posso, compareço aos eventos do sindicato. O Congresso é muito importante porque contribui para que os servidores se atualizem e conheçam, cada vez mais, os seus direitos”, diz.

Técnica judiciária aposentada, Valfrida de Oliveira é sindicalizada desde a década de 1990. Ela defende a realização de eventos como o congresso, que contribuem para o fortalecimento da categoria. ‘É importante demais que a gente esteja junto presencialmente. É da unidade que depende a luta. Quando a gente está dividido e [se comunica] só através da internet, fica difícil a gente discutir e chegar [a um ponto comum] em alguns assuntos que realmente interessam. Aqui a gente debate, conversa e chega a um denominador comum, revê os amigos, reconhece e fortalece a luta e isso é muito importante”, comenta.

Cleneci Maria Pereira Dias entrou para o sindicato há 26 anos, quando foi efetivada como servidora pública. Ela saiu de Dionísio Cerqueira na quarta-feira (25) à noite, enfrentou 12 horas de estrada para atravessar o estado para participar do congresso.

“Sempre fui representante da categoria lá na minha cidade, por acreditar que, sozinho, a gente não consegue fazer nada, a gente precisa agir em rede. Tem que ter essa teia de suporte. Eventos como o congresso, fortalecem essa teia de suporte. O congresso nos proporcionou assistir palestras de extrema qualidade. Amei o debate sobre as questão do gênero feminino. No judiciário há um volume muito grande de mulheres produzindo coisas boas e é importante ver isso em destaque”, afirma.

Adriane Walter de Lima é servidora sindicalizada há 24 anos e atua em Campo Erê. Ao participar do congresso, ela ficou encantada com a parceria entre o SINJUSC e as universidades. “Isso possibilitou a oferta de palestras temáticas incríveis e recheadas de informação. Essa união com as universidades é excelente, porque a academia tem o conhecimento teórico e técnico, adquiridos com muitos anos de estudo. Eles são as pessoas mais qualificadas para nos dar um norte, para somar e ajudar o sindicato com toda a militância que tem. Quanto mais acesso a capacitação tivermos, melhor será”, avalia.

Thiago Cortelini esteve no 9º Congresso do SINJUSC como representante do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado do Paraná (Sindijus/PR). Ele elogiou a organização do evento. “Foi tudo muito bem planejado, organizado e executado. Gostei demais do cenário, da estilização do palco com sofá. Trouxe um ambiente mais aconchegante e eu acredito que isso cansa menos quem participa de um evento com um ambiente assim. Na minha opinião, tudo foi muito bem organizado, desde o hall de entrada, com a exposição de quadros, o sofá no palco, essa organização mais caseira deixa o evento mais humano, mais próximo da gente”, completa.

Para rever todas as palestras e a plenária do 9º Congresso do SINJUSC, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *