5 fatos da saúde pública que desmentem o mito da ineficiência do Estado

Foto: Marcello Casal/Arquivo/Agência Brasil

Diferentemente da iniciativa privada, a eficiência estatal não é calculada pelo lucro que gera, mas sim por sua capacidade de entregar serviços de qualidade e atender as demandas básicas da população.

 Por isso, confira 5 fatos da Saúde pública que desmentem o “mito da ineficiência do Estado”.

1- O governo gasta R$ 3,60 (menos que uma passagem de ônibus) por dia com a saúde de cada pessoa no Brasil, o que é pouquíssimo, perto de países mais desenvolvidos. Ainda assim, a Saúde pública é eficiente e presta serviços que vão desde uma consulta até procedimentos de alta complexidade (cirurgias etc.)

2- De 2002 a 2018 (antes da pandemia de Covid-19), o atendimento a procedimentos ambulatoriais mais que dobrou.

3- Já o índice de mortalidade infantil caiu de 26 (para cada 1000 nascidos vivos) para pouco mais de 12 (para cada 1000 nascidos vivos).

4- Se não fosse o trabalho dos servidores públicos em geral, o SUS, a Fiocruz, o Instituto Butantan e diversas outras instituições públicas, o Brasil não conseguiria enfrentar a crise e suas consequências, nem produzir vacinas

5- Nesse caso, estaríamos reféns da iniciativa privada, e somente quem pudesse pagar pelo acesso à saúde receberia atendimento. Logo, a população mais pobre seria abandonada e nossa tragédia (que já é grande) seria ainda maior.

Há muitos outros fatos que desmentem o “mito da ineficiência do Estado”. Mas, uma coisa é certa: o SUS e seus servidores são fundamentais para que o nosso país não afunde em meio à pandemia e tantas outras crises. O que falta ao SUS é mais financiamento. Mas, se a Reforma Administrativa passar, ele será completamente destruído.

Por isso, para garantir o atendimento universal à saúde da população, é preciso valorizar o serviço público. Ele sim é para todos.

Com informações do site “É Público, é Para todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *